Notícias

A Consultoria wapiya participou do Dia D Inc

Com o objetivo de inserir esse público no mercado de trabalho a Consultoria Wapiya participou do evento Dia “D” Inclusão Social e Profissional de Pessoas com Deficiência, ocorrido na ultima sexta-feira dia 30 de maio de 2014 no Centro Cultural de São Paulo. ...

TREINAMENTO OBRIGATÓRIO – RESOLUÇÃO Nº 280

A ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil – através da Resolução Nº 280 , estabeleceu os procedimentos relativos à acessibilidade de passageiro com necessidade de assistência especial (PNAE) ao transporte público. Entende-se por PNAE pessoa com deficiência, pessoa com idade igual ou superior a 60 (sessenta anos), gestante, lactante, pessoa acompanhada por criança de colo, pessoa com mobilidade reduzida ou qualquer pessoa que por alguma condição especifica tenha limitação na sua autonomia como passageiro. ...

Labace 2013

“Sempre atenta ao universo da aviação civil, a Wapiya Consultoria esteve presente nos três dias da segunda mais importante feira de aviação executiva da America Latina, a Labace 2013, realizada em 14, 15 e 16 de agosto, no Aeroporto de Congonhas, São Paulo. A Wapiya, em busca constante da sincronia com as demandas desse importante setor da aviação civil, prospectou as novas necessidades e demandas da moderna aviação executiva brasileira, se mostrando completamente apta a atender essas demandas e necessidades através de seus serviços de reconhecidos profissionalismo e qualidade. Seleção de Pessoal para Aviação (pilotos, comissários de bordo, mecânicos e outros), Desenvolvimento de Alta Performance (High Human Performance for Business Aviation) e Implantação da Filosofia TEM – CRM (Treat and Error Management – Corporate Resource Management), fazem parte do portfólio de serviços disponibilizados pela Wapiya para o setor da aviação executiva e outros setores que requeiram, a alta performance em gestão de recursos operacionais, conforme mostrou a Labace 2013. Informamos que para o próximo evento, a Labace 2014, a Wapiya Consultoria se prepara para participar novamente, dessa vez, como expositora! Aguardem!” ...

A Wapiya participou do 1º Seminário de Segurança de Voo Contato Radar

Uma manhã fria com uma fina garoa em São Paulo, assim começou o dia 25 de julho de 2013, data programada para o I Seminário de Segurança de Voo Contato Radar.

Por sinal, a segunda data programada para o I Seminário de Segurança de Voo Contato Radar.

Inicialmente o evento seria realizado no dia 25 de junho, mas devido às manifestações que ocorreram em São Paulo e em todo o país naquele mês, especialmente à informação de que uma havia sido programada para o local e data do Seminário, acabou sendo remarcado para o mês seguinte. Remarcação que se impôs de última hora (no dia 24 de junho), por motivo que fugia ao controle dos organizadores e da Universidade Anhembi Morumbi.

Mas voltando à nossa fria manhã paulistana, era chegado o dia.

Às 10h, já na Anhembi Morumbi, começava a preparação do auditório. Crescia a expectativa.

Momento de fazer os preparativos finais e deixar tudo pronto para receber os participantes, que por volta das 13h, uma hora antes do programado para o início, começaram a chegar.

Assim foi até que o auditório estivesse cheio, com cerca de 80% de ocupação, e a presença de representantes de companhias aéreas, da Embraer, de empresas da aviação executiva, de associações e sindicatos, cursos superiores e técnicos e escolas, além de profissionais do setor e demais interessados. Naquele momento a preocupação com a audiência, algo que tínhamos devido à remarcação da data do Seminário (o que inevitavelmente impossibilitaria a presença de alguns inscritos), se dissipou.

Casa cheia em uma quinta-feira à tarde, dia útil, sob tempo chuvoso e uma temperatura média inferior a 10º C era, mais do que presença, um voto de confiança. Os controles nos eram então passados para que déssemos sequência.

Todos sentados, começava o I Seminário de Segurança de Voo Contato Radar com algumas breves palavras deste que vos fala, seguido pelo Professor Edson Luis Gaspar, Coordenador do Curso de Aviação Civil da Universidade Anhembi Morumbi, e por um video no qual tivemos a honra de ter o Seminário aberto pelo Cmte Mauro Silva (ele próprio um sobrevivente de acidente aéreo, quando em 2009 uma falha catastrófica levou à queda do helicóptero que pilotava). Em oito minutos o Cmte Mauro contou um pouco de sua história, mostrando a pessoa ímpar e cativante que é, e dando o tom para o que viria em sequência ao declarar iniciado o I Seminário de Segurança de Voo Contato Radar.

Além dos Acidentes Aeronáuticos

A palestra de abertura, apresentada pelo Capitão Silveira, Chefe da Seção de Investigação do SERIPA IV, além da qualidade da informação técnica com a qual sempre nos brinda a Aeronáutica em suas palestras, trouxe também uma visão humana do que é enfrentar um acidente aéreo.

Com imagens impactantes o Capitão Silveira, acima de tudo, sensibilizou os presentes ao dar-lhes a plena noção do que é um acidente não apenas pelo lado técnico da busca pelos motivos, mas por tudo que o envolve, da questão técnica ao lado humano.

Interagindo com a platéia começou também a mostrar o que seria um dos grandes diferenciais do Seminário: a participação de todos os presentes, no que viriam a ser momentos de conversa entre o público e os palestrantes e debatedores do Painel de Discussão.

A começar pelo debate entre ele e o Cmte Carlos Camacho (ex-diretor do SNA), que no encerramento da palestra levantou algumas questões relacionadas aos aspectos legais da investigação respondidas pelo Capitão.

Descomplicando o CRM, uma abordagem prática

Ministrada de forma compartilhada por Rafael Santos, Cmte de B777 na Korean Air, e Carlos Batista, psicólogo, Gerente de Projetos e Facilitador na Wapiya Consultoria em Desenvolvimento Humano, ambos profissionais que também atuaram por mais de duas décadas na companhia aérea Varig, sendo profundos conhecedores das técnicas de CRM-TEM (Corporate Resource Management e Threat and Error Management), a segunda palestra do dia trouxe um tema recorrente na aviação, por vezes compreendido de forma superficial ou não tão aprofundada quanto deveria.

Para começar veio ao palco Rafael Santos, que falou de forma ampla sobre CRM-TEM, mostrando com uma abordagem prática suas várias aplicações dentro e fora da cabine de pilotagem, na aviação e em todas as áreas que demandam a interação profissional para se obter um bom e eficiente ambiente de trabalho, bem como os resultados desejados.

Dando prosseguimento veio ao palco Carlos Batista, trazendo à palestra uma visão aprofundada do aspecto conceitual das referidas técnicas, como se desenvolvem e se aplicam, complementando o conteúdo e permitindo aos presentes ligarem o lado teórico ao prático, amplificando seu entendimento do tema abordado e de como poderiam dele tirar proveito.

Ao fim da palestra ambos, Carlos e Rafael, ouviram perguntas da platéia esclarecendo dúvidas e facilitando a fixação do que havia sido falado.

Automatismo: Entenda, não dependa

Encerrando o ciclo de palestras foi a vez de Fábio Laranjeira, Cmte de A320 na Avianca e fundador do Contato Radar.

Tendo começado sua carreira na linha aérea voando o clássico B727, geração do famoso "pau e bola", sem os diversos auxílios eletrônicos encontrados nas aeronaves atuais, Fábio trouxe aos presentes um insight sobre a evolução tecnológica e a influência dessa evolução nas habilidades básicas de pilotagem.

Com uma palestra repleta de informações e imagens, cadenciada de forma a mesclar conteúdo técnico a exemplos de fora da aviação, Laranjeira, como é conhecido, reteve a atenção dos presentes e facilitou a retenção das informações.

Trazendo estudos sobre o assunto e mesclando-os com o conhecimento de quem teve como escola o Boeing 727 e hoje voa o Airbus A320, aeronaves distanciadas por décadas de evolução tecnológica, ressaltou a importância de se conhecer a fundo a aeronave pilotada ao mesmo tempo em que deve-se buscar a proficiência na mais básica das habilidades de um piloto: ter a aeronave sob seu controle, saber voá-la com tudo aquilo que oferece mas também de uma forma mais básica, instintiva, com consciência de tudo aquilo que se passa ao seu redor e sem os auxílios eletrônicos que oferecem.

Coffee Break

Durante o coffee break palestrantes, integrantes do Painel de Discussão e participantes puderam interagir, conversando um pouco mais sobre aviação.

Enquanto isso, no auditório, Eduardo Russo da Kopter Brasil Drones (www.koptervideos.com), que mais cedo tinha realizado um breve voo pairado com um de seus drones sobre o palco, exibia os dois equipamentos que havia levado enquanto uma televisão passava videos gravados em voo, momento em que os interessados puderam conhecer melhor tanto os drones quanto o trabalho de filmagens aéreas.

Homenagem ao Cmte Mauro Silva

Encerrado o coffee break a organização do Seminário trouxe uma surpresa. Retornando ao palco, Fábio Laranjeira fez uma homenagem ao Cmte Mauro Silva, destacando sua importância não só para o Seminário como fonte de inspiração, mas também para todos aqueles que têm oportunidade de conhecê-lo pessoalmente.

Parte do seleto grupo de pessoas que conseguem por sua experiência de vida, seu conhecimento e seu caráter inspirar e motivar aqueles que com ele convivem, o Cmte Mauro foi pego de surpresa e, ao subir ao palco para agradecer, ovacionado mais de uma vez.

Painel de Discussões

Retomando a sequência do evento, foram chamados ao palco os integrantes do Painel, na seguinte ordem:

Marcelo Ceriotti (Presidente do SNA);

Edson Luis Gaspar (Coordenador do Curso de Aviação Civil da Anhembi Morumbi);

João Carlos Medau (Piloto-Chefe da Avianca);

Ana Helena Puccetti (Psicóloga que trabalhou em investigacões do SERIPA IV entre os anos de 2009 e 2012);

Alexandre Abs (Diretor Comercial da CAE no Brasil);

Rodrigo Duarte (Presidente da ABRAPHE).

A eles juntou-se Raúl Marinho, autor do blog Para Ser Piloto (paraserpiloto.com) e mediador do Painel, dando início aos trabalhos.

Conforme o próprio Raúl já havia explicado em seu blog (clique aqui para ler), contava com um roteiro para o caso da platéia não ter o interesse esperado e necessário para dar sequência ao Painel.

No entanto, após os debatedores opinarem sobre o tema proposto, a influência da empregabilidade na segurança de voo, a platéia logo reagiu ao convite para fazer perguntas e tomar parte no debate. O que se viu a partir de então foi uma animada conversa, como fariam amigos que se reunem para falar sobre algo que têm em comum, neste caso o gosto pela aviação.

Em 1h e 30min de Painel diversos temas foram abordados a partir dos questionamentos vindos da platéia e das colocações do mediador Raúl Marinho. Entre eles, "colando" o que o próprio Raúl escreveu em seu blog, destacamos a primeira convenção coletiva para instrutores de voo (INVA/Hs) sendo elaborada pelo SNA, explicada por Marcelo Ceriotti, os programas de treinamento técnico para proprietários de aeronaves (com destaque para os jatos Embraer Phenom) sendo comercializados pela CAE, mencionados por Alexandre Abs, e o anúncio da primeira turma de Aviação Civil da Anhembi Morumbi para pilotos de helicóptero, feito em conjunto pelo Professor Gaspar e por Rodrigo Duarte, da ABRAPHE.

Outro tópico interessante a transcorrer no debate surgiu quando João Carlos Medau foi perguntado sobre o que a companhia aérea Avianca buscava em um piloto, ao que explicou sobre a importância das caracteríscticas de caráter nas seleções, e não apenas da experiência.

Já nos aproximávamos das 21h quando foi necessário encerrar a conversa, não por falta de assunto, mas em respeito à necessidade do auditório ser fechado. De outra forma todos teriam entrado noite adentro conversando. Ainda assim, após o encerramento, aqueles que ficaram no auditório puderam conversar por cerca de 30 minutos antes de deixarem a Universidade.

Agradecimento

Aos palestrantes, integrantes do Painel de Debates, nossos apoiadores SNA, ABRAPHE, SERIPA IV, Universidade Anhembi Morumbi, Helpjet - Abastecimento para Aviação, Blog Para Ser Piloto, Kopter Brasil Drones e Bravo4 Produções, e à platéia, nosso agradecimento.

Em especial à platéia que, aceitando o convite para interagir feito em vários momentos por quem se encontrava no palco ajudou a criar o ambiente propício para que o principal objetivo fosse atingido: transmitir de uma forma interessante e de fácil absorção todo o conhecimento que se encontrava disponível dentro do auditório da Anhembi Morumbi.

Mais do que isso, contribuiu para que fosse feito um Seminário com conceito diferente, formal e informal ao mesmo tempo, onde independente de experiência, posição ou cargo, todos se sentiram à vontade

Finalizando em uma palavra o que temos a dizer é simples: obrigado.

E aguardem novidades!

Fonte: Contato Radar

Site: http://www.contatoradar.com.br/

Link da reportagem:http://seminarios.contatoradar.com.br/.